Lendas Arturianas foi tema de Live promovida pelo GCE-RJ apresentada por renomados Cavaleiros

Lendas Arturianas foi tema da Live realizada na sexta-feira, 26 de junho, apresentada pelos renomados Cavaleiros, a convite do Grande Conselho do Estado do Rio de Janeiro, (GCE-RJ), Irmãos Luigi Gomes e Nickolas Fernando, respectivamente coordenador nacional do Programa de Avaliação e Certificação de Cavaleiros (PACC), gestão 2019/Oficial Executivo da 11ª Primeira Região Administrativa de Minas Gerais e atual Assessor de Organizações Afiliadas do Rio de Janeiro, onde foi abordado sobre o elo honorífico da Cavalaria aprofundando em conceitos arturianos que a Ordem DeMolay herdou da cultura americana.

Essa Live faz parte de um ciclo de palestras do GCE-RJ com alguns Cavaleiros renomados da Ordem da Cavalaria Brasileira, para abordar diversas facetas dessa que é a principal organização paralela da Ordem DeMolay.

As bases históricas para a lenda do Rei Artur têm sido debatidas há bastante tempo pelos acadêmicos. Uma escola de pensamento, citando elementos da Historia Brittonum (História dos Bretões) e Annales Cambriae (Anais de Gales), vê Artur como uma figura histórica genuína, um bretão-romano que lutou contra os invasores anglo-saxões em algum período no final do século V e início do século VI.

Historia Brittonum, uma compilação histórica latina do século IX atribuída ao clérigo galês Nênio em alguns manuscritos posteriores, contém a primeira descrição detalhada sobre o Rei Artur, descrevendo doze batalhas em que o lendário líder lutou.

Elas culminaram na Batalha do Monte Badon, onde é dito que ele matou sozinho 960 homens. Estudos recentes, entretanto, questionam a veracidade da Historia Brittonum.

“Todo saber folclórico e mitológico vem acompanhado de um sistema de valores de um povo ou de uma cultura. Para nós brasileiros, que construímos uma mentalidade a partir das culturas ibéricas, ameríndias e africanas que formaram o nosso povo, um momento de nos debruçarmos sobre outras identidades morais é, também, uma oportunidade de refletir sobre princípios vistos por outro ângulo. Nada poderia ser mais relevante do que isso, para uma organização de aprimoramento moral, como a Ordem DeMolay”, explica o Irmão Luigi Gomes.

Durante o período de isolamento social devido a pandemia do novo coronavírus, as Lives, com diversos temas, tem sido fundamental importante para manter a virtude do companheirismo sempre em alta assim como as campanhas filantrópicas.

“Os encontros virtuais possibilitam que a gente mantenha sempre contato cada vez mais próximo”, finaliza Luigi Gomes.

Foto cedida para divulgação

Você também pode se interessar por