Membro da Ordem DeMolay; atual campeão brasileiro de judô segue em Portugal treinando com a Seleção Brasileira até o final deste mês

O Irmão Sênior DeMolay e judoca profissional, Tiago Silva Palmini Souza, 24, (foto atual), membro do Capítulo Luzes da Conquista nº 325, em Itaguara, distante 100 km de Belo Horizonte, atleta do Minas Tênis Clube; atual campeão brasileiro na categoria peso pesado + 100 kg sênior, segue treinando até o final deste mês em Coimbra, em Portugal, com a Seleção Brasileira de Judô, (respeitando sempre as regras de proteção sanitária devido ao novo coronavírus), visando as futuras competições internacionais que ainda serão marcadas para esse segundo semestre.

A Seleção Brasileira de Judô foi convidada pela Seleção Portuguesa para realizar esse intercâmbio neste país porque, no Brasil, os treinos estavam sendo realizados, individualmente na casa de cada atleta; em Portugal os prognósticos do novo coronavírus estão melhores do que aqui.

Os treinos estão sendo realizados no centro de treinamento de Coimbra; segundo Palmini, estão divididos em dois turnos. Na parte da manhã treino de judô e a tarde a preparação física sempre respeitando todos os protocolos de segurança contra a Covid 19.

A equipe chegou no início de julho, ficando três dias em Rio Maior, em isolamento, cumprindo todos os procedimentos contra o novo coronavírus.

Estamos treinando com muito afinco para quando ter alguma competição marcada pela Federação Internacional de Judô podermos representar bem o nosso país.”

Palmini aborda também que o comitê olímpico brasileiro sai na frente como o único país a levar seus atletas para um treinamento de intercâmbio internacional, nessa época, visando as olimpíadas de 2021.

Ao todo são 28 atletas e sete profissionais de apoio (técnicos, preparadores físicos e médicos) que estão em Portugal treinando e realizando testes para a Covid 19 a cada 15 dias.

“É sempre uma honra integrar a seleção brasileira ainda mais em um momento delicado que estamos vivendo com a pandemia do novo coronavírus. Viajar para um pais onde os prognósticos, em relação a esta pandemia, estão melhores que os nossos, proporciona uma grande oportunidade de aprimorar meu judô e me preparar para competições futuras. Sempre carrego comigo o nome e os ensinamentos que a Ordem Demolay me proporcionou ao longo destes anos“.

Foto atual cedida para divulgação

Você também pode se interessar por