Seleção Brasileira de Judô retorna ao país após quase três meses de intercâmbio de treinamentos, em Coimbra, a convite da Confederação Portuguesa; membro da Ordem DeMolay entre eles

“Foram quase três meses de muito aprendizado e superação com esse intercâmbio de treinamento com os amigos portugueses. Agradeço muito ao comitê olímpico de judô por proporcionar o melhor treinamento e com a melhor segurança protocolares a respeito do novo coronavírus no qual o momento exige. Volto para casa extremamente feliz e motivado para buscar cada vez mais meus objetivos e meus sonhos”.

Essas são as palavras de agradecimento do  Irmão Sênior DeMolay e judoca profissional, Tiago Silva Palmini Souza, 24, membro do Capítulo Luzes da Conquista nº 325, em Itaguara, distante 100 km de Belo Horizonte, atleta do Minas Tênis Clube; atual campeão brasileiro na categoria peso pesado + 100 kg sênior, convocado mais uma vez pela seleção brasileira de Judô para um intercâmbio de treinamentos em Portugal a convite desse país visando futuras competições internacionais.

A equipe chegou no início de julho, ficando três dias em Rio Maior, em isolamento, cumprindo todos os procedimentos contra o novo coronavírus. Os treinos foram realizados no centro de treinamento de Coimbra; segundo Palmini, divididos em dois turnos. Na parte da manhã treino de judô e a tarde a preparação física sempre respeitando todos os protocolos de segurança contra a Covid 19.

Palmini aborda também que o comitê olímpico brasileiro sai na frente como o único país a levar seus atletas para um treinamento de intercâmbio internacional, nessa época, visando as olimpíadas de 2021.

A Seleção Brasileira de Judô retornou ao Brasil, no último domingo 26, onde foi convidada pela Seleção Portuguesa para realizar esse intercâmbio neste país porque aqui os treinos estavam sendo realizados individualmente na casa de cada atleta; em Portugal os prognósticos do novo coronavírus estão melhores do que o nosso país.

Foto cedida para divulgação

  

Você também pode se interessar por